domingo, 17 de junho de 2012

PM assassinado no Marajó estaria irregular em Portel/Pa (Ou: "PMPA, uma corporação sem doutrina administrativa")


O soldado PM Ademar Calandrine da cruz foi morto em confronto com assaltantes na noite de sexta-feira, 15, no município de Portel, na ilha do Marajó, a cerca de 270 Km de Belém.

Embora o desfecho desta ocorrência tenha sido infeliz, ela estaria dentro dos padrões normais da atividade policial militar se não fosse um detalhe: o soldado Ademar estaria atuando irregularmente no Município de Portel.

Ademar fez concurso público para ingressar na PM no ano de 2008. O edital que regulou o certame para admissão ao Curso de Formação de Soldados PM (CFSD/PM) estabeleceu que a futura lotação dos militares observasse a opção realizada pelo candidato no ato da inscrição.

Após a conclusão do CFSD, Ademar foi lotado no 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), localizado na Cidade de SOURE, porém, por determinação superior, ele foi transferido para o Destacamento Policial Militar (DPM) do Município de PORTEL, subordinado ao comando do 9º BPM, localizado no Município de BREVES, possivelmente em desobediência às normas editalícias e ao Regulamento de Movimentação da PM, além de o ato administrativo de transferência não ter sido precedido da competente publicação em Boletim Interno ou Diário Oficial. Tudo indica que a movimentação do militar foi “oficializada” por um simples MEMORANDO, subscrito pelo comandante do 8º BPM, autoridade absolutamente incompetente para transferir policiais de uma UPM para outra.

É claro que não se pode postular, sem a devida apuração, que a possível irregularidade na movimentação do soldado Ademar, de alguma forma, influenciou na ocorrência que o vitimou, mas, por outro lado, convém apurar a responsabilidade administrativa e judicial de quem o designou para atuar fora de sua circunscrição.

Segundo fontes do blog, esta ilegalidade será comunicada à Promotoria de Justiça da Cidade de Salvaterra, a quem caberá elucidar as circunstâncias deste lamentável – e evitável – fato.  

Numa PM sem doutrina administrativa, como a do Pará, é tradição somente fechar a porta depois de a casa ter sido arrombada.

13 comentários:

  1. Wolgrand, no Marajó está o onça, é por isso que os militares são transferidos sem portaria. Deve estar rolando uma propina federal. Era assim que ocorria quando ele estava no CPE. O pessoal que ia para o BPA tinha que acertar com ele. Parece que não tem jeito mesmo, só quando ele for pra reserva.

    ResponderExcluir
  2. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=254421294663468&set=a.123486881090244.19814.100002867994848&type=1
    Fotos de uma pessoa que Morreu como um verdadeiro heroi, morreu por ser honesto. Mas, sua morte não fica impuni.

    ResponderExcluir
  3. https://www.facebook.com/photo.php?fbid=254421294663468&set=a.123486881090244.19814.100002867994848&type=1

    ResponderExcluir
  4. Wolgrand, vc sabe mais do que qualquer um, na PM a gente vê de tudo. Tu acredita que em Santarém, certo oficial foi até a CARGIL e pediu (doação) uma certa quantidade de cimento (300 sacos) para terminar as obras da garagem do Batalhão Tapajós. Imagina que ao receber a doação, nenhum saco de cimento entrou no Quartel, tudo foi levado e usado na reforma de sua residência que fica no "Maracanã" (bairro de Santarém). Detalhe, a obra (na casa dele) vem sendo realizada pela "SWAT" (nome usado para denominar os PM´s do Batalhão que trabalham nos serviços gerais). Essa é quente!!!!

    ResponderExcluir
  5. isso vem ocorrendo a bastante tempo,será que agora com a morte do soldado calandrini algo vai ser feito para melhorar essa situaçaõ.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo contrário vão morrer mais PMs,sabe pq?Pq a sociedade quer uma policia robor,que não mate,e não extorque.EÉÉ meus amigos,quem tem tempo vai pra reserva,como eu, trabalhei 26 anos averbei 4 e rasquei.Hoje ganho o dobro do ganhava na ativa.Só de inatividade é 1.326,00.Sou sgt, ganho mais que cap.,PENSAR QUE TEM PM COM QUASE 30 ANOS DE SERVIÇO E NÃO PEDE RESERVA,É UM ABESTADO QUE TEM AMOR NA FARDA,ENTÃO QUE FICA E MORRRAR.... FUUUUIII!

      Excluir
  6. Transferência de policial sem portaria, " UMA BOA FONTE DE RENDA".

    ResponderExcluir
  7. é de se estranhar, sempre colocam noticias do 8º bpm no portal da pm, dessa vez nem uma nota de pesar para família do gerreiro. essa morte pode colocar na conta da ambição desse "ONÇA". movimentações irregular, propina na caradura,prevaricação entre outras situações feitas por esses oficiais ak no marájo, nos ajude

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade o Marajó é vitrine de noticias no portal da PM, e desta vez nem thum, uma verdadeira falta de respeito com a família do guerreiro.

      Excluir
  8. Caros amigos do Marajó,

    Se vocês desejam combater as arbitrariedades e abusos cometidos por “pessoas” como o ONÇA e Cia, façam o seguinte:

    1 - Registrem todas as ilegalidades cometidas contra vocês, por meio das CÂMERAS e VÍDEOS dos celulares ou outros aparelhos eletrônicos. Tirem fotos e cópias de documentos, como escalas de serviço, notas fiscais, contratos, convênios, etc.

    2 – Encaminhem para o meu e-mail: w_wolgrand@hotmail.com ou diretamente a este blog.

    3 – Liguem diretamente para mim (Major Wolgrand), 88091018 e 82097707, para serem mais bem orientados. Vocês podem me localizar pelo FACEBOOK, solicitando adesão de amizade por meio do nome WALBER WOLGRAND.

    As denúncias encaminhadas ao e-mail indicado ou diretamente a este VÍDEOBLOG serão imediatamente encaminhadas ao Comandante Geral da Polícia Militar e ao Promotor Militar do Estado, autoridades que, certamente, adotarão as providências legais.

    Esclareço que acompanharei diretamente a adoção das providências legais até a solução final do caso.

    Major Walber Wolgrand

    Obs: Pessoas como o ONÇA somente serão contidas com a utilização dos instrumentos corretos de registro dos fatos, com posterior denúncia às autoridades competentes.

    ResponderExcluir
  9. Olá meu querido, aplausos para a sua iniciativa, sou mulher de policial e sofro com a ausencia do mesmo, quase nem vejo meu marido devido essa arbitrariedade de transferencia de soldados de um batalhao para outro, o que dizem para eles é que, por necessidade do setor eles tem que ir, nem querem saber se os mesmos tem família e que essa família ficará toda desestruturada sem o esteio da casa. O nome desse comandante deveria ser "destroi famílias", pois são contados à dedo as famílías que ainda continuam de pé. Outra coisa, não adianta ofertar novos concursos para o este batalhao (8º )se estes mesmos que passam são transferidos assim que se formam. Para acabar com isso o governo deveria ofertar vagas para cada cidade que necessita de segurança, pois se o governo sabe que é necessário muitos policiais porque ofertam vagas que são insuficientes para suprir a necessidade das mesmas? Só assim não nos arrancariam à força nossos maridos e não os jogariam em outras cidades somente com passagem de ida, pois na maioria das vezes é isso o que acontece, como foi o caso deste soldado, vítima desta trajedia que abalou toda a sua família e porque não dizer, toda a sociedade. O meu marido foi para Breves apenas para passar um mês, é o que eles chamam aqui de "o maldito do destacamento", só que ele já está pra lá Há mais de seis meses e não tem nem previsão para voltar, como é que podemos resolver essa situação? Onde podemos denunciar esse fato? E não é só eles, existem vários nesta mesma situação. Procura-se um policial em nossa cidade e não existe quase nenhum, ou seja, eles destacam os polciais daqui, dão segurança em outro municipio e o nosso fica à merce de bandidos desocupados.

    ResponderExcluir
  10. Não entendi isto acontece a decadas e decadas na Pm e inclusive e considerado um fato normal, militar servindo em outro quatel sem estar registrado em BG, acho que isto não é motio para esta polemica, haja vista como torno a falar isto e NORMAL, já rabalhei em departamento pessoal e sei que tal fato é rotina, agora o que se tem que apurar e a maneira que estes pobres servidores público, sesenvolvem suas atividades nesses lugares, já tive oportunidade de estar em Xunguara, e lá vi que em certos lugares os policiais vivem em galinheiros.

    ResponderExcluir

  11. Amigos, eu sou Administrador, Advogado e Professor. Agora, aos 76 anos, aposentado, dedico-me a escrever livros infanto-juvenis educativos. Tenho um site, onde disponibilizo meus livros para baixar gratuitamente. Estes livros educativos são úteis e importantes para que as crianças de sua cidade sejam melhores pessoas e cidadãs mais conscientes! Meus trabalhos são, essencialmente, voltados ara a EDUCAÇÃO de nossas crianças. São livros que colaboram para o desenvolvimento e formação de pessoas, bem como para inspirar, despertar e reforçar o interesse, nos seguintes aspectos: caráter e valores morais; conceito de cidadania; consciência ecológica; valores de família; respeito aos educadores (pais, avós e professoras); ordem e disciplina; cultura e conhecimento; incentivo ao estudo como caminho para o sucesso e espiritualidade. O site tem o caráter filantrópico e educativo, sem fins lucrativos.
    Eis o site: www.literaturaeducativa.com.br

    Atenção! Este e-mail não é um vírus. Se tiver dúvidas, pesquise no Google – Literatura Educativa – e acesse o site acima por este caminho, se quiser maior segurança.

    Agradeço o apoio de vocês na divulgação do site, possibilitando-me uma parceria para uma melhor Educação de nossas crianças! Se gostou do site, divulgue-o aos seus amigos.

    Atenciosamente, João José da Costa, Escritor.

    ResponderExcluir