sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Fidel e o mito da luta dos fracos contra os poderosos.

Muitos que se dizem democráticos choram publicamente a morte do ditador FIDEL CASTRO, que ficou 49 anos ininterruptos no poder e, ao sair da presidência de Cuba, nomeou, para substituí-lo, o irmão RAUL CASTRO, como se a ilha fosse a extensão da sua casa.

Fidel foi um dos políticos mais emblemáticos do mundo. Embora tivesse alguns propósitos louváveis, usou, para alcançá-los, os métodos mais reprováveis que o ser humano é capaz de instituir, amparado pelo eterno mito da luta dos fracos contra os poderosos. Para quem acredita que os fins justificam os meios, o Líder cubano ainda lançará a sua sombra sobre a humanidade, principalmente enquanto a ditadura cubana subsistir.

Que o inferno o receba com a pompa que merece!

Nenhum comentário:

Postar um comentário