sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

A Organização Criminosa de Fardas do Estado do Pará (Ou: "Chamem o Ladrão!")

O Ministério Público Militar denunciou, no início do mês de novembro de 2014, 20 policiais militares, incluindo os coronéis João Paulo Vieira, Luis Cláudio Ruffeil e Augusto Cardoso Leitão - todos ex-comandantes-gerais da Polícia Militar paraense -, envolvidos no esquema fraudulento do desvio de viaturas para uma quadrilha interestadual que vendia os veículos. Oficialmente, os veículos eram doados a instituições filantrópicas e os prejuízos, segundo a denúncia, ultrapassam R$ 15 milhões. Os novos denunciados fazem parte de uma segunda leva, pois no ano passado foram denunciados a coronel Ruth Léa Costa Guimarães e sargento Raimundo Nonato Sousa de Lima, acusados de peculato e corrupção passiva e que tiveram requerido o sequestro de seus bens.

O civil que operava todo o esquema de venda dos veículos, Nicanor Joaquim da Silva, foi assassinado com um tiro na cabeça, no dia 1º de outubro de 2013, quando dirigia um veículo pela estrada da Alça Viária. Segundo o Ministério Público Militar, o crime teria sido “queima de arquivo”, já que a perícia feita no carro de Nicanor não constatou quaisquer indícios de tentativa de arrombamento do veículo ou de roubo. A vítima era peça chave no inquérito e tinha depoimento marcado dias antes de ser morta. Ela confessara a amigos que iria apontar todos os envolvidos no esquema e dizer qual a participação de cada um nas fraudes.

Com a nova denúncia, outro processo será aberto, sem prejuízo da ação penal militar que já tramita contra Ruth Léa Guimarães e o sargento Raimundo Nonato Sousa de Lima. Além dos ex-comandantes-gerais da PM, os coronéis João Paulo Vieira da Silva, Luis Cláudio Ruffeil Rodrigues e Augusto Emanuel Cardoso Leitão, foram denunciados os tenente-coronéis Alexandre Mascarenhas dos Santos, José Sebastião Valente Monteiro Júnior, Rubenlúcio Silva da Silva, Roberto Coaracy Santos da Silva, Lúcio Clovis Barbosa da Silva, Ailton José Silva de Freitas,os majores Robison Augusto Boulhosa Bezerra, Marycélia Domingues Rodrigues, Wagner Ferreira Wanderley, Denis do Socorro Gonçalves do Espírito Santo, Lúcio Clovis Barbosa da Silva, Franklin Roosevelt Wanzeler Fayal, Benedito Tobias Sabbá Correa, os capitães Alessandro Silva Celestino, João Carlos das Neves Soares, Ney Nazareno Marques da Luz, Dayvid Sarah Lima, e o cabo Synval Vicente de Castro. A acusação contra eles é a de peculato – artigo 303 do Código Penal Militar.


Fonte: Jornal “Diário do Pará”

2 comentários:

  1. É por essas e outras...Que sou contra politicos do Pará....pedirem CPI.
    Sempre quando eu vejo essa esquerda de merda....fazer mais merda....me da nojo!!!
    É competencia dos orgaos....invertigar e prender os envolvidos em todo e qualquer crime...que estejam usando farda.
    Politico é pra criar leis, projetos que beneficiam o povo.
    Politico nao e pra ficar brincando de policia.
    Pit, voce imagina uma informaçao sigilosa nas maos da louca da Marinor? nas mãos do doente por imprensa....Edmilson Rodrigues....onde cada mergulho e um flash??? kkkkkk....vai ser a trapalhada dos sete anões. Aff

    ResponderExcluir
  2. Preparem o bolso,porque todos nós contribuintes seremos assaltados novamente pelos ilustres parlamentares,que iram presidir, mas uma CPI da pizza.
    Show de diarias!!!

    ResponderExcluir