sexta-feira, 8 de novembro de 2013

ESTADO DE DEFESA OU ESTADO DE SÍTIO? (Walmari Prata Carvalho)

‘’Democracia, Estado Democrático de Direito e outras expressões semelhantes são bonitas para se falar, mas inexistentes no Brasil de hoje onde o crime tem se mostrado compensador já que o bandido ou criminoso sempre é protegido. A quem interessa essa baderna? Por que o crime, a desordem e a corrupção se espalham impunemente no país como se fosse uma terra sem lei? A nação está vulnerável e os desordeiros, “militantes sociais” ou terroristas festejam, ensejando conjecturar se a falta de reação acontece por covardia ou por cumplicidade dos que detêm o poder.

Espantosa é a aparente insensibilidade das autoridades governamentais e de entidades de classe, como a OAB e o Ministério Público. No caso do coronel paulista, a presidente limitou-se, conforme noticiado, a manifestar solidariedade, pelo Twitter, ao governador do estado, sendo oportuno lembrar o silêncio mantido pela sua ministra dita dos “direitos humanos”, aquela mesma que pugna pela investigação de supostos delitos cometidos no passado em quartéis do Exército e que se emocionou às lágrimas pela repressão sofrida por um assaltante preso em flagrante por um policial militar! Imagine-se o que aconteceria se em lugar do coronel a vítima tivesse sido um promotor, um advogado ou um magistrado’’.
Gen. Ex José Carlos Leite.

Como o general diz venho também a década dizendo. A cada dia agravam-se ainda mais o estado belicoso em que nossa sociedade encontra-se inserida perdendo seus membros para assassinos. Em nome de uma politicagem de perpetuação de senhores e partidos se deixam reféns de uma filosofia dita dos direitos humanos passando a apear sua policia, que acuada pelo medo decorrente de um assedio funcional produzida por corregedorias que, não percebem a guerra interna instalada, e, por isso mesmo imaginam que podem tratar a todos como se o painel fosse de paz. A situação é critica, e, se perdurar, muitos humanos direitos ainda irão tombar, justamente por não serem priorizados pelo estado que, hipocritamente a todos igualam.


Dentro deste painel, jamais a marginalidade ira temer o policial, e, a maioria dos policiais jamais exercerá seus ofícios na plenitude, pois, a insegurança sempre os inibirá para qualquer possibilidade de entreveros, em podendo se acautelarão.

Os marginais, que antes temiam o policial percebendo esta condição, não os respeitam mais passando a assaltá-los para tomarem suas armas, e, executá-los covardemente; aparentemente ate parece que, recebem ordens para a feitura dos atos criminosos que se avolumam, assim como ocorre no sul do país. Precisam adotar urgentemente uma atitude que devolva o respeito que o cidadão de bem precisa ter pelo policial, e, o temor que deve existir pelo marginal. Alguém precisa pintar de roxo seus escrotos para poder fazer o serviço de comandar, quem sabe passando a usar do atirador de elite, e, por ai vai.


Que saudade em ouvir alguém dando ordem como o Helio Gueiros deu para desobstruir a ponte sobre um rio em Marabá.

Cuidado, pois, a qualquer momento, a marginalidade percebendo este medo institucionalizado por diretrizes governamentais (jamais originada nos membros das policias) podem ficar ainda mais audaciosos, e resolvam invadir algum quartel, ou o CG, ou quem sabe a própria secretaria de segurança para roubarem ate mesmo armas. O marginal precisa receber do mesmo tratamento que ele dispensa a todos os humanos direitos; tratá-los como igual é hipocrisia.

BELÉM 07 DE NOVEMBRO DE 2013
WALMARI PRATA CARVALHO - CEL PM RR

3 comentários:

  1. caro valmari,nosso país está com o pavio acesso pronto para explodir.Nossa realidade de viver democrática mente (entre aspa)como a nossa sociedade deseja. Hoje é realidade dos anseios do passado.Eles estão provando que tudo que foge do controle vira bagunça.Mais...dê a cesar o que é de cesar.Felizes são aqueles que vivenciaram o passado como nos,que podia sentar na porta de nossas casas sabendo da tranquilidade que era.Ho! QUE TEMPO BOM QUE NÃO VOLTA MAS.Tenho pena dos meus filhos que quando sai para balada e não sei se voltam.Fico com aperto no coração, que se acalma quando vejo eles entrando em casa.Parabéns nobre valmari pela matéria.

    ResponderExcluir
  2. Suas palavras me alegram bastante;sou obrigado a agradecer a todos que assim pensam,mas,na realidade gostaria muito de agradecer nominando quem me afaga.

    ResponderExcluir
  3. Gostaría q o Sr Maj Wolgran falasse pelos Cb da PM, o SR é uma pessoa q tanto admiro sua postura e caráter...vms falar um pouco sobre os praças da PMPA... vão abrir no início de 2014 80 vagas para o CFS graças à Deus, menos mal.
    Mais sinceramente meus amigos isso é uma brincadeirao q estão fazendo com os Cb velho da PMPA, vcs já imaginaram qts Cbs temos na Briosa?
    Sr CMT geral da PMPA, vms olhar com mais carinho para a tropa...vms faer um CFS com pelo menos 300 vagas para os antigos pelo amor de Deus, fazendo assim o Sr CMT acabava de vez com essa briga...e mais rápido o Sr levantava a auto estima da tropa, se o Sr CMT Geral quizer fazer isso o Sr faz, basta ter boa vontade...

    ResponderExcluir