sábado, 23 de março de 2013

O face expõe e pode provocar danos (Walmari Prata Carvalho)

A imprensa de nosso estado noticia a prisão judicial de nove praças de nossa PM acusados do cometimento de incitamento à greve, e, a indisciplina, entre outros. Os acusados teriam usado do espaço virtual conhecido como face book, onde postaram manifestação pessoal que, pela explicidade fora percebida pela cúpula da instituição como infringência aos preceitos legais capitulado pelo ato jurídico como corrompido pelas praças, o qual fora aceito pelo magistrado deprecante das prisões. Lamentamos as implicações familiares, mesmo assim julgo necessário usar deste episodio para manifestar-me esperando que todos nós consigamos compreender o todo, e, assim aprender, o que somos o que representamos, e, principalmente a estrutura em que estamos inseridos funcionalmente.

Somos uma categoria especial de servidor público, a categoria Militar estadual regido por estatuto diferenciado, atrelado a Reserva do Exercito, e, a quase todos os dispositivos que definam as suas vigas mestras, a disciplina, e,a hierarquia.Este fato é norte que chega a todos que, voluntariamente se submetem ao concurso de ingresso em nossas fileiras,assim como o impedimento a greve,igualzinho ao existente para as Forças Armadas.

Julgo de todas as estruturas estatais, a militar, a que melhor se adéquam as necessidades do estado no que se refere à segurança pública, mesmo assim, não posso deixar de aceitar o contraditório, ou mesmo os movimentos que buscam a desmilitarização de nossa instituição. Ocorre que, mesmo os inseridos no sistema hoje vigente, não podem buscar o equacionamento de suas vontades agindo inconseqüentemente em desalinho ao que, estatuído voga, caso em contrario estarão atirando no próprio pé, como foi o caso em questão.

Deve todos compreender, que nenhuma mudança ocorrera, a reboque de nove ou mesmo cem a se manifestarem inadequadamente sem estrutura de base. Nossa instituição é composta de oficiais e praças, e, somente no conjunto conseguirão mudar rumos ou ate mesmo a estrutura hoje existente. Não será atritando as praças com os oficiais, não será repudiando condutas de direção corretas praticadas por oficiais, não será tratando pejorativamente os oficiais, que os objetivos serão alcançados. Isto servira apenas para dividir enfraquecendo o todo institucional.

O ato do CMT GERAL junto à justiça militar, foi um ato corretíssimo de oficio provocado por esta manifestação explicita dos nove praças, e, a todo ato assemelhado, novamente assim ele terá obrigação de agir, pois, caso em contrario estará sendo conivente, assim como qualquer outro militar.

Caso o todo institucional, realmente deseja promover mudanças no status quo da PM precisam caminhar coesos, unidos, focados no objetivo, sem quebrarem o já estabelecido, sempre respeitando nossas vigas mestras. Precisam aprender a escolher seus representantes de clubes, e, das associações; depois deste aprendizado, e, já unidos necessitam eleger um representante para cada setor legislativo. Nada será fácil e de curto ou médio prazo, mas, se a união ocorrer o objetivo poderá ser alcançado. Diferente disto é dar murro em ponta de faca. Que o ato impensado destes nove inconseqüentes praças, sem habilidade no dizer, realmente sirva para alertar a todos, os caminhos desagregadores, que estão sendo percorridos por grupos ou classes individualizadas, de ideologias não institucionais, alguns eivados da politicagem que ao longo dos tempos se instalou no seio da corporação premiando cores e seus adeptos no espaço temporal em que predominaram transformando da base a cúpula da instituição, numa torre de babel que, extremamente dividida ficou, e, acabou fragilizando seus elos permitindo que, fatos iguais a este submirjam a despeito da estrutura compartimentadora legalista, e, seus efeitos hierárquicos, e, disciplinadores. Unam-se ou nada prosperara, a não ser que as mudanças ocorram vindas de outras PMS, ou do governo federal.

Belém 22 de março de 2013.

WALMARI PRATA CARVALHO
walmariprata@hotmail.com

17 comentários:

  1. Cel Walmari e Prof Wolgrand, veja o comentário abaixo retirado no link http://www.diarioonline.com.br/noticia-239769-.html referente a matéria veiculada.

    "3 | envergonhado - Sexta-Feira, 22/03/2013, 18:34:55

    Ficamos todos no quartel envergonhados e entristecidos com esta medida arbitrária do comando da PM. Liguei para um conhecido na Corregedoria e ele me disse que por lá os oficiais da Corregedoria foram coagidos a preparar o pedido de prisão preventiva, pois não concordavam com a ordem que partia do comando da PM, diretamente do comandante geral. Não concordavam porque analisavam as supostas “incitações a greve” no facebook e nela não havia nada demais, apenas coisas do tipo “sem greve não vai ter aumento” ou “precisamos nos organizar”, opiniões e não ordens nem ameaças de qualquer tipo. Mas como tem cargos com DAS, e com medo de perdê-los, os oficiais da corregedoria prepararam a contragosto o pedido de prisão preventiva de nove inocentes, pais e mães de família. Tem oficial que também tinha postado mensagens semelhantes, mas recebeu informação privilegiada para apagar seus posts antes da feitura do pedido de prisão. ESTOU ENVERGONHADO DESTE COMANDO QUE TEM MEDO DOS SEUS SUBORDINADOS!"
    Será que realmente houve excesso dos policiais militares acusados e presos? ou será que houve uma intolerancia por parte do comando pra mostrar quem é que manda? estou apenas tentando enxergar os 2 lados da moeda.

    ResponderExcluir
  2. Não possuo o conhecimento exato dos bastidores para considerar o agora postado pelo anônimo acima como a exatidão dos fatos, entretanto, mesmo se considerarmos como verdadeiros devemos perceber também, que teriam assim, vícios de origem, e,como tal,jamais um juiz que analisa a perda da liberdade de alguém,poderia simplesmente homologar o pedido,que ainda assim fora subsidiado pelo escrutínio do MP...Dai para a frente analisemos a quem cabe a responsabilidade maior.O comando verificando as possibilidades julgou o cometimento do ilícito,e,o submeteu ao julgamento da corte militar....Sabe aquela guarnição que interfere numa ocorrência de rua,e,que por dever de oficio se obriga a conduzir as partes a delegacia,e,esta de conhecimento do caso e apos analise jurídica libera ao submete o caso ao juiz...é aproximadamente esta sustentação que observo ao caso...salvo analise outra

    ResponderExcluir
  3. Ei, Walmari, claro q vc não vai sair contra o Cmt geral, vc é amigo dele...vc é oficial..meu amigo sempre vai ser meu amigo, mesmo ele cometendo erros...mas vou falar para ele q ta errado, mas vai permanecer meu amigo.

    ResponderExcluir
  4. É CORRETO IDEALIZAR!!!!!

    As postagens do Sr.Wolgrand e Sr Walmari REFERENTE aos acontecidos no FACEBOOK, nelas percebemos que é correto afirma a falta de Habilidade, é correto afirmar que houve excesso na condução do emotivo pessoal, é correto afirmar que estamos em crise CENTENÁRIA, é correto afirma que há uma ordem judicial, é correto afirma que visivelmente há contra-censo nos pólos verticais, é correto afirmar que vivemos um absurdo, é correto afirmar que navegamos sem rumo , é correto afirmar que devemos pensar em outra policia, é correto afirma que antes não havia o correto, é correto afirma que voar sem asas nunca vamos conseguir, por isso é que as larvas tornam-se borboleta, o Leão torna-se rei e o policial pode passar a ser livre para reivindicar sua vida e liberdade, por isso com respeito a vossa senhoria, Sr Walmari, a mudança é correta a se dizer, é preciso unir, mas enquanto poucos estiverem aqui, nada haverá por ai, um abraço, porém, é correto idealizar!!!! . Luiz Carlos 2013 às 22h57...

    ResponderExcluir
  5. Ao anônimo das17: 08 do dia 24 março... Ei anônimo, estas enganado eu sempre que posto algum comentário defendo as idéias,os fatos,e,mesmo assim quando percebo que equivocado me encontrava corrijo meu equivoco assim como o fiz em referencia a Cel. Lea.Nunca visitei o Daniel em seu gabinete,não sei nem onde reside,mas,não teria vergonha de assumir uma amizade se ela existisse.Durante 32 anos de vida de caserna fiz vários camaradas,porem poucos amigos dom meio militar que, os conto nos dedos de apenas uma das mãos,talvez,por eu ser eletivo,ou quem sabe sincero,ou quem sabe não ser merecedor.Quem quer que seja que eu perceba em cometimento de equívocos sempre apresento minha manifestação,e,já fiz em relação a vários CMT Gerais,e,coronéis,tenho isenção para dizer aquilo em que acredito,e,o mais importante de tudo,eu assino o que digo,e,me sujeito a responder pelo que digo,diferentemente de muitos,que não possuem o embasamento para discutir idéias,preferem atingir pessoas,e,diferentemente de mim não possuem a coragem de assinar o que dizem.Neste ponto prefiro ser amigo do Daniel,pois ele teve a coragem de assumir seu ato,mesmo que julguem equivoco,já de vc que por estar anônimo podendo ate mesmo ser um coronel,me atingiriam muito mais caso possibilitassem que eu seria seu amigo,pois,ai sim estariam me ofendendo,pois,sou possuidor no campo militar de poucos amigos,entre eles uma ou duas praças,mas,todos eles merecem meu respeito por não se esconderem no anonimato,assim como você.Cresça,aprenda a conhecer a instituição que te alimenta,aprende a perceber a representatividade do contraditório,compreende o que representa discutir idéias,depois,minimamente possuidor de embasamento volta a te manifestar as claras sobre o que pensas,sem que precises imaginar que outros agem em decorrência dos mesmos valores que para ti são aceitáveis,e,justificáveis para a promoção de ações,assim como fizeste comigo.Cresce.

    ResponderExcluir
  6. Sr Luiz Carlos; infeliz de nós se nada idealizássemos, mas, idealizar sem base de suporte legal, ou por caminhos tortuosos divergentes dos estatuídos é falta de foco de um objetivo palpável, ou um infeliz utópico sonho,mas,nada impede que idealizemos, todos possuem este direito,feliz daquele que possui um sonho realizável sem conjecturas.Nossos amigos precisam conhecer as possibilidades,as limitações,as condicionantes do caminho;a necessidade do conjunto dos idealizadores;a força que juntos possuem,ai a estrada permitira um idealizar conjunto,sem utopias pessoais.Um forte abraço para vc tbm.

    ResponderExcluir
  7. O problema Walmari é que os "amotinados" são praças. Se fossem oficiais a interpretação do dispositivo de lei seria outra, mais amena, mais corporativista.

    Leio há anos o Wolgrand denunciar desmandos e condutas infamantes de oficiais, principalmentes dos comandantes da briosa PM e a coisa fica "como dantes no quartel do Abrantes". Não dá em nada, tudo uma farsa, uma enrolação.

    E mais Walmary, nunca vi o senhor fazendo comentários, fazendo artigos sobre o comportamento torpe dos oficiais. Se estou errado, prove que você já criticou desvio de condutas de oficiais.

    O pau quebra sempre em cima dos mais fracos.

    Você já ouviu falar na expressão "bode expiatório"?

    Pois é os praças estão como bodes expiatórios nesse contexto.

    A regra é: "oficial pode tudo, praça não pode nada"! Quem manda não estudar, diriam alguns insensíveis.

    Publica essa Wolgrand? Responde essa Walmary?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EM ATENÇÃO AO SEU PEDIDO,OU MELHOR DESAFIO,LHE ENCAMINHO UM DOS VARIOS MOMENTOS EM QUE APRESENTO UMA VISÃO CONJUNTA DOS MEMBROS DA PM(OFICIAIS,E,PRAÇAS)NO QUE DIZ RESPEITO AO DIREITOS E DEVERES.....DEPOIS DE AS LER,...SEJA JUSTO,PASSANDO A SER EXIGENTE COM VC MESMO,E,RECONHEÇA QUE ATENDI AO SEU DESAFIO EM EXCELENCIA............Escrito em 26/10/2007-editado no liberal
      “O que dá pra Chico, tem que dá pra Francisco”

      Mais uma vez, observamos os meios de comunicação, estamparem as imagens de policiais militares sendo presos em razão de estarem complementando seus salários, com a realização de serviços de segurança privada; compreendo à necessidade social, mas não justifico o desvio de finalidade de todos que assim agem, apesar de ser favorável a discussão de caminhos legais que venham a legalizar e delimitar referida prestação de serviço no período de folga do agente. Dito isto, é necessário ressaltar mais uma vez, que liderança de Comando, se consegue com o exercício de diversos atributos pessoais efetivado em beneficio do todo e sem divisão de águas, ou seja, no popular “o que dá pra Chico, dá pra Francisco”, o que, salvo falha de observação, não vem ocorrendo, tendo em vista os atos disciplinares de que se tem noticia, ter atingido ostensivamente as praças. Em geral, as praças seguem em exemplos seus superiores, é como dizem entre seus pares, “dançam conforme a música”. Infelizmente sou obrigado a dizer, que tudo leva a crer que a sinfonia executada por alguns oficiais, faz, parte de seus subordinados entrarem na dança. A razão de sugerir a existência de tal comportamento superior é devido ter recebido em meu correio eletrônico, documento encaminhado pela ADDMIPA, datada de 27 de agosto de 2007, onde seu presidente caracteriza seu encaminhamento ao Comandante Geral da PM e a Governadora do Estado que já deve ter encaminhado ao setor competente, documento, que versa entre outras afirmações sobre a Policia Privada, nele o autor afirma acusando, dois oficiais de executarem atividades assemelhadas às das praças presas e expostas na mídia, e prossegue nominando outros integrantes, de agirem com comportamento, que ferem frontalmente à honra e o pundonor militar; são gravíssimas as acusações feitas pela presidência da referida associação.
      A regra disciplinar diz que na existência de acusação contra a conduta de militar no exercício da função, e em existindo fatos preliminares que permitam duvidas em relação a esta conduta, o mesmo deve ser afastado da função, até que o fato seja apurado.
      A transferência do acusado, o não afastamento das funções e a não apuração dos fatos, incentiva outros, principalmente os subordinados a cometerem a mesma falha; talvez este seja o caso das praças recém presas e expostas na mídia; provavelmente se tivessem agido com a energia necessária em relação ao conteúdo do oficio nº 012/2007 da ADDMIPA, teriam desestimulado outros de executarem atividades assemelhadas. É preciso que fique bem claro, que ao não tomarem qualquer providencia em relação às acusações efetivadas pela ADDMIPA, talvez por não considerá-las consistentes, as autoridades que a receberam, e assim consideraram e assim se posicionaram, deixam de agir no cumprimento do dever, ao não levar as barras da justiça quem considera caluniador, difamador e outros atributos jurídicos contidos no bojo de tais acusações; referido comportamento, também deve ser adotado por todos os oficiais acusados, e é bom lembrar de que “quem cala consente”.
      Só teremos uma instituição coesa, disciplinada e confiante em seu comandante, na ocasião em que houver um comportamento único em todos os setores e que atinjam com igualdade todas as camadas hierárquicas; linguagens diferentes para camadas diferentes será a transformação de qualquer empresa e principalmente toda aquela de atividades especificas, em uma Torre de Babel, depois da mão do Pai.


      WALMARI PRATA CARVALHO
      Cel. PM R/R

      Excluir
    2. WALMARY;,,DANDO CONTINUIDADE A RESPOSTA SOLICITADA.................
      MONÓLOGO DE ELDORADO DOS CARAJÁS


      POR QUE ME CULPAS?
      Em nenhum momento desejei os efeitos buscava defender teus direitos de ir e vir, teu patrimônio, na realidade não precisava ninguém me mandar fazer, a intervenção era e é obrigação constitucional, também para isto me criaste intervir.
      POR QUE ME CULPAS?
      Fui em teu socorro defender-te de sem terras e principalmente de pseudos sem terras, que saqueavam, te aprisionavam, não te deixavam seguir. Fui como estava, sem meios, descoberta, mas fui precisavas de mim. Acreditei no respeito às Instituições, no temor da força, fui surpreendida atacaram-me apedrejaram-me alvejaram-me, instintivamente reagi, a princípio como força, depois, a emoção, o medo, o instinto de preservação fez parte de meu ser agir como células isoladas deixaram de ser força.
      Antes de me julgarem já havias me sentenciado, mesmo na hipótese de condenação jurídica observa, que será julgada uma falange do meu ser, como podes generalizar?
      POR QUE ME CULPAS?
      - Procurou ver a causa de tudo isto e de muito mais?
      - Observaste que eu atuo nos efeitos e não nas causas?
      O raciocínio lógico nos leva a acreditar que as instituições governamentais, ao deixarem de propiciar as condições básicas para que o cidadão consiga a felicidade própria e de sua família, na ocasião em que lhes dificulta a habitação, saúde, educação e o trabalho, e na ocasião em que permitem escândalos financeiros impunes, o perambular de crianças, velhos e doentes a dormir em quiosques ou marquises, presídios que não reabilitam o latifúndio improdutivo ajudam a transformar o cidadão em delinqüente, que acaba em confronto comigo. Nesta ocasião, vocês (sociedade) esperam que sejamos psicólogos, médicos, assistentes sociais, comunicólogos, negociadores, etc.
      Somos apenas parte de uma instituição, e sofremos as mesmas influencias do meio, que todo cidadão sofre.
      - Antes de eu (instituição) intervir, alguém ou alguma outra instituição já falhou.
      POR QUE ME CULPAS?
      - Eu represento vocês sou um espelho do que vocês são sou formada por vocês.
      Em minhas hastes existem filhos de governadores, irmãos de deputados, filhos de juízes e desembargadores, filhos de operários, advogados, católico, umbandista, gente que mora bem, muita gente que mora mal, gente ruim e muita gente boa.
      Também buscamos a felicidade e temos as mesmas necessidades e dificuldades de você comunidade amiga. Somos você (comunidade) adestrada em segurança, a serviço de todos nós, cada comunidade tem a instituição que merece, mansa se for mansa, educada se for educada, valente se for valente viemos de vocês.
      Na realidade precisamos urgente de uma reestruturação geral, a começar pela família, que desestruturada por diversos fatores, não consegue dar aos seus membros, o embasamento formador do caráter e personalidade propiciando futuros homens, formadores de novas famílias, sem o conhecimento dos preceitos legais que norteiam uma sociedade sadia.

      POR QUE ME CULPAS?
      - Sempre que me chamas, bem ou mal vou a teu socorro.
      - faço o que posso e atuo com o que tenho e sempre em teu benefício.
      - Estou a te proteger quando peregrinas em teu ato de fé, durante o Círio de Nazaré.
      - Estou a te proteger quando vais ao campo torcer com emoção para que teu time seja campeão.
      - Estou a te proteger, quando de férias partes para Salinas, Mosqueiro ou Marudá, tudo para te agradar.
      - Estou a te proteger quando anoitece e dormes; quando arranco de minhas veias o sangue milagroso, e como num ato de amor, ofereço a ti, teu filho ou teu esposo.
      - Não estou mais contigo porque sou pequena, e os meios limitados para um Estado tão grande.
      - Fique certa parceira comunidade, que sofro por tuas necessidades, teus desejos, tuas aflições, tuas preocupações, tudo que te atinge, também me atinge.

      EU SOU A POLÍCIA MILITAR DO ESTADO, EU SOU VOCÊ. POR QUE ME CULPAS?


      WALMARI PRATA CARVALHO
      Cel. PM R/R

      Excluir
    3. WALMARI;...CONTINUANDO RESPONDENDO.......À Hora é de Rosnar Grosso e Latir Forte Sem Se Preocupar Com a Morte

      A imprensa veiculou que um pit bul havia atacado e matado uma criança, e que o animal seria levado ao centro de zoonoses onde seria sacrificado. Questiono qual a diferença entre este animal, e os inúmeros pit buls racionais espalhados pelo Brasil que rotineiramente ceifam vidas de geólogos, policiais, crianças e tantos outros. Encontro a diferença apenas na divisão dos animais tipificada como racionais e irracionais, entretanto, ao me aprofundar na busca de compreender o motivo do comportamento do animal racional; no caso específico; verifico que apesar de toda a semelhança comportamental, que chega a confundir o ser humano e a fera besta; o racional não perde sua capacidade de pensar, de definir o certo e o errado, de escolher seu caminho e o dom do livre arbítrio; o caminho marginal, assassino, desumano é opção consciente de um ser racional. A verdade é que ele se encontra inserido em nossa sociedade e como cidadão deveria, como todos, nortearem sua existência no respeito às normas legais instituídas em um País Democrático, entretanto, isto não ocorre com este tipo de pessoa, ele cria suas regras, não respeita os direitos e a vida de seus semelhantes, mata, estupra, rouba, trafica, se organiza criminalmente; é neste momento que ele se assemelha à um Pit bul irracional, ou à um alienígena belicoso ou à um mercenário estrangeiro; neste momento como deveremos tratá-lo?
      Qualquer pessoa que atinja este grau de opção comportamental, jamais terá recuperação, mesmo em um País do 1º mundo; o Estado deve se preocupar com o bem estar de todos, e se alguém ou algum segmento põe em perigo este bem estar social, todos os meios deve ser usado pelo Estado em benefício do cidadão de bem e da sociedade organizada respeitadora da constituição e das leis vigentes.
      O comportamento adotado pelas autoridades responsáveis pela área, apesar; de sem sombra de dúvidas; do elevado esforço, da incansável devoção à causa e da dedicação exaustiva no combate ao crime, não vem obtendo na plenitude a resposta desejada.
      É necessário se ter em mente, que facínoras, assassinos, traficantes, não podem ser tratados a pão de ló, compreendo o respeito pelos direitos humanos de todos, mas passem a priorizar nesta área os humanos direitos e lembre-se que estes calhordas são Pit bul, não mandem em seu encalço poodle que serão assassinados.
      À hora é de rosnar grosso e latir forte sem se preocupar com a morte.
      Devemos observar também, que o Policial quando deixa o trabalho e retorna ao lar que normalmente é na periferia e próximo ao perigo, tem a necessidade de estar armado, e isto lhe foi tirado, o que lhe dá estresse, insegurança e logicamente prejuízo ao serviço, lembrem-se que o policial é concursado, foi treinado e julgado apto ao serviço, e será policial 24 hs de sua existência, inclusive na sua folga, logo, não devemos lhe tirar o instrumento de trabalho, devemos selecionar melhor.
      A classe policial deve ser apoiada e incentivada em todos os sentidos ao ponto de conseguirmos uma classe respeitada pelo cidadão de bem, mas temida pela marginalidade.
      Estes desclassificados marginais assassinos de policiais, de crianças e de todo cidadão de bem, devem ser tratados se preciso for, na bordoada até sua rendição e imobilização e depois defenestrados do meio da sociedade, ou seria defunestrados? Desculpem a dúvida no português, mas a vontade ainda utópica existe na cabeça de quase todos, que vêem em todo o Brasil, o tombar de tantos homens de bem, por um número cada vez maior de Pit buls sanguinários racionais, estranhos ao nosso meio, as nossas leis e ao Estado de direito. Porque que lhes dar o direito?

      WALMARI PRATA CARVALHO
      Cel. PM R/R

      Excluir
    4. Em resposta a sua postagem desafiadora, postei alguns dos inúmeros textos que julgo atender a sua indagação, e, ir ao encontro de seus anseios de apoio a classe das praças. Ocorre que o espaço do blog para onde mandei os iniciais textos, provavelmente por saturação de espaço, não aceitou mais o recebimento dos inúmeros outros com o mesmo sentido que lhe remeteria. Não obstante esta condição impeditiva, ainda desejo continuar a subsidiá-lo com mais informações de meu cunho, para tanto, mesmo que você use de anonimato, ou de pseudônimo estarei disposto a atendê-lo com satisfação através de meu email walmariprata@hotmail.com ,ou no facebook,ou pessoalmente em minha residência.Querendo também você poderá acessar o Google,e,nele colocar corretamente meu nome completo que assim terás acesso a uma grande maioria de manifestações de meu cunho,através das quais poderás compreender que não busco discutir pessoas ou classes,mas,principalmente idéias.
      Lembre-se sempre que ‘’ A Instituição Policia Militar é um corpo uno, que deve ser coeso no seu caminhar; jamais chegara a qualquer objetivo coletivo, se juntos não seguirem a cabeça, o tronco, e, os membros. ’’

      Excluir
    5. CORONEL PM OSMAR-“O BOI DE BIRANHA”
      A Auditoria Militar julga o Cel. PM Osmar e outros por utilização de PMS sobre suas ordens, em atividades, que caracterizariam DESVIO DE FUNÇÃO. Os atos de oficio são amplamente estampados na mídia, inclusive com imagens de dentro da sala do sagrado templo da justiça, mesmo antes da sentença, seus justos julgadores já o condenaram a execração social.
      Assim será justiça?
      Na realidade esta atividade sem embasamento legal sempre foi, e, ainda é costume no Estado e nos Poderes, não é atributo apenas de um Coronel PM. O Osmar esta servindo de boi de piranha provavelmente pela sua falta de habilidade para fazer, sua querência questionável entre seus pares, por dizer o que pensa sem analisar as conseqüências, por imprudência, mas, principalmente por não ter se adaptado aos dias atuais. Enquanto sua carne é dilacerada em nome da moralidade do serviço público, outros policiais provavelmente exercitam assemelhados afazeres para distintos senhores não coronéis, mas, detentores de poderes maiores, e, às vezes nem tanto.
      A estrutura institucional define em leis onde o policial militar poderá ser empregado, e, qual a atividade a serem desempenhadas pelos mesmos seja qual for à função. Divergindo disto, mesmo a disposição das Casas Militares do Governador, do MP, da Assembléia Legislativa, da Auditoria Militar ou qualquer outro assemelhado estará o militar cometendo desvio de função.
      Consta que, o Major PM RR WOLGRAND já se manifestou em denuncia por diversas vezes em referencia ao mesmo crime atribuído ao Cel. Osmar, e, o fez por escrito. Qual o motivo de não prosperarem suas denuncias?Caso as mesmas não tenham apresentado consistência, qual o motivo de não o transformarem em réu por calunia ou difamação?
      Será porque o beneficiado pelo desvio não foi um coronel, mas, os senhores do poder?
      Mesmo com toda a controvérsia e o contraditório, não resta duvida que o MP Militar cumpriu com sua finalidade,e,a juiz auditor acertadamente acolheu a denuncia.Não estou defendendo o Osmar,se realmente fez errou,entretanto,seu erro é estrutural não legal,mas,de costumes.
      Espero para o bem do serviço publico em todo o estado, que este julgamento seja o passo inicial de uma cruzada, que venha a inibir este costume arraigado não só na PM, mas em todos os Poderes, e, setores que, da PM utilizam. Se assim realmente for, meus efusivos parabéns a todos da auditoria militar, mas, se somente a este caso se abstiverem lamentarei, pois, somente verei como um ato midiático. Se assim for continuaremos presenciando PMS levando filhos de autoridades ao colégio; madames ao cabeleireiro, e aos supermercados; de bandejas servindo o café; como porteiros abrindo portas, e, depois de algum tempo, para justificar junto à sociedade a intolerância a estes desvios, hipocritamente venhamos a encontrar outro boi de piranha como o Osmar, e, o esquartejemos dando-o de banquete a opinião pública, enquanto a caravana dos senhores feudais continuarão seguindo incólume com os mesmos vícios.
      Belém, 29 de março de 2012.
      WALMARI PRATA CARVALHO-CEL PM RR walmariprata@hotmail.com

      Excluir
  8. Olha eu não gostava muito do Walmari, mas agora ele cresceu no meu conceito, de vez em quando ele fala algo que faz sentido.(claro que nêm tudo né.?rs) Quando o Walmari,escreve sem muita frescura,sem palavras dificeis, a coisa fica melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente,não sei o que devo ter feito para que vc não goste de mim,talvez assim seja por ter ouvido falar.Jamais fiz algo no campo profissional para agradar alguem,tudo que fiz foi feito por dever de oficio para agradar minha consciencia,e,minha instituição.Minha sinceridade pode ter provocado querencias conflitantes,pois,muitos não gostam de ouvir verdades.Nada faço para ganhar amizade,amizade se conquista,se não conquistei a sua foi em decorrencia da falta de empatia entre nós,e,não será agora que a irei conquistar,se,e,somente se,apenas agora você se permite que eu cresça em seu conceito,a falha anterior de analise de minha pessoa foi sua,pois,sempre fui do jeito que sou,por este mesmo motivo,solicito que você me respeite,pois,jamais usei de frescura em minha vida,e,não seria depois de 62 anos que passaria a usar,nem trejeitos tenho,nem rebuscados na escrita possuo,sempre estive mais para um canto de cerca,do que para algodão,o que falta a vc é uma interpretação com mais acuidade do ordenamento de junção das palavras.Quanto ao resto postado por vc,aceito,e,fico satisfeito por haver começado a modificar seu pensamento sobre minha pessoa.Fique com Deus.

      Excluir
  9. Cel Walmari, lhe conheço, sei de sua trajetória. Talvez causa-lhe espanto pelo termo utilizado pelo rapaz. "FRESCURA" é o adjetivo, principalmente os mais jovens, anciosos, rápidos pela tecnologia, angustiados por realizações de desejos e ambições, hoje expressam. Estamos tão acelerados hoje que muitas vezes, nossa lingua (falar) é mais rápida que nosso cérebro (pensar). Ocorre que quando o ser humano pensa (sigilo absoluto), a coisa tende a acontecer. Quando falamos, aaaiii sim, cria-se um problema, pois muitos são escravos de sua lingua. Amigos, a PM não iludiu ninguém. Todos sabiamos o que iamos encontrar. Acabem com essa frescura!!! Ninguém iludiu ninguém. Idealizem sim! mas respeitando as instituições e seus dirigentes. A Polícia acolheu vários jovens que sonhavam com um emprego, muitos se adequaram à hierarquia e disciplina. Outros nem tanto, pois é mais fácil questionar na primeira dificuldade do que enfrentá-la, ser forte, pois nos cursos de formação, se tenta forjar o jovem a sê-lo. Hoje é mais fácil dizer que falta algo ou algo está errado do que administrar as deficiências como o bom militar sempre faz sem fazer barulho. Façamos então assim: Peçam suas baixas. Se livrem da PM, pois afinal, só trabalho né! Estam cansados né! Tão novos e já cansados! Ok. entendi. Depois de livres, experimentem com seus diplomas entrarem na fila por emprego, pois são inteligentes, irão logo conseguir. Depois que conseguirem o trunfo pela seleção natural dentre milhares com o mesmo propósito, experimentem "idealizar" querer mudar o capitalismo. Ahhhh, aproveitem e chamem para seus chefes, éééé!! CHEFE!! pois em todos os ramos profissionais, os temos. Chamem de feio, gordo, careca, boçal e digam que na empresa está tudo errado! Experimentem ao invés de IDEALIZAR, pedir logo uma vaga de gerente pois seus currículos devem ser melhores dos que já estão lá há 10, 15 anos. EXPERIMENTEM!! Depois conversamos. CRESÇAM!! Um abraço a todos.

    ResponderExcluir
  10. Matou a pau, e, sem frescura. Analise perfeita que sempre sublimado se encontra nas entrelinhas de minhas manifestações, talvez, ai se encontre minha frescura em não ser explicito numa realidade que julguei poder ser muito agressiva aos contestadores do momento. Procurei dizer subjetivamente, mas, provavelmente julgaram frescura, neste ponto realmente rebuscada foi a mensagem. Você colocou exatamente tudo desnudo a mesa. Gostei do que li,mas,lamento que vc,com a boa escrita,com um bom desenvolvimento de idéias,necessite se manter anônimo.Precisamos de mais pessoas como vc,como o Wolgrand,como eu,sempre identificáveis postando nossas idéias,para sermos sentidos,compreendidos,e,quem sabe seguidos no norte iluminado.Junte-se dizendo,e,identificando-se,ai então tudo que por vc for dito terá mais força.De qualquer forma parabéns,e,obrigado por dizer.

    ResponderExcluir
  11. Sr. Tá tudo em casa, mas utilizo da possibilidade dada pelo blog, por questões óbvias na atual conjuntura. Mas entenda. Minha revolta se restringe a meia dúzia de jovens que tem muita saúde, muita força, mas não sabem, talvez pela condição de neófitos, através do profissionalismo, atingir seus objetivos. Idéias, não significam verdades plenas. O jovem de hoje quer ser respeitado, mas detesta principalmente, cumprir regras. quando se escreve de modo prático e errado, nos taxam de burros, grossos, despreparados, limitados. Quando se escreve como o senhor, militar de carreira que também o sou, dizem que é rebuscados, palavras bonitas e eivadas de "FRESCURA". Agradeço pelas palavras. E aos que ainda entendem que as mudanças ocorrem pelas redes sociais e podem até ocorrer, mas com respeito às normas, utilizem suas inteligências para o bem comum, principalmente em prol da população paraense, a qual um dia juraram defender, até com o sacrifício da própria vida! Isso é muito forte! Ou vão dizer também que alguém os forçou a fazer o nobre juramento!? AOS JOVENS OFICIAIS e PRAÇAS. Pensem nesta frase: POLÍCIA MILITAR. AME-A OU PEÇAM PRA IR EMBORA!!!

    ResponderExcluir