domingo, 17 de março de 2013

A extinção arbitrária do RANCHO na PMPA. Uma orientação aos integrantes do Batalhão de Polícia Penitenciaria - BPOP

1.    Wolgrand, gostariamos que vc nos explicasse melhor o porquê da SUSIPE, cortar a nossa alimentação da Casa Penal, alegando que já recebemos em contra-cheque o nosso tiket-alimentação. Além de ser uma merreca esse ticket, vivemos largados dentro da casa penal, fazendo farofa de ovo e saindo p escolta de presos. Direitos Humanos não serve p policial, né? Abraços BPOP.
................................................................
Amigos do BPOP,
.
Não cabe ao Sistema Penitenciário alimentar os policiais militares que trabalham no BPOP, mas à Polícia Militar. Vocês não estão subordinados à SUSIPE. A atuação de vocês se restringe à área EXTERNA das Casas de Recuperação. O Espaço interno compete aos agente penitenciários.
.
Vocês devem cobrar do comando do BPOP a alimentação (RANCHO), independente do “VALE ALIMENTAÇÃO”, instituído pela “grande” governadora Ana Júlia. Assistam ao vídeo abaixo e peticionem ao Comando da Unidade requerendo esse direito.
.
Um abraço a todos.      

9 comentários:

  1. Caro Wolgrand,
    Só por questão de justiça devo informar que o vale alimentação no contra cheque dos integrantes da pmpa foi instituído no mês de maio de 2011, portanto no Governo Simão Jatene e não no governo da Ana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo, por uma questão de conhecimento, cumpre-me lhe dizer que o Vale Alimentação foi instituído no governo Ana Jùlia, por meio de uma lei estadual. No governo Jatene houve apenas o aumento do valor pecuniário dessa gratificação temporária, com a conseqüente extinção do rancho.

      Para tirar qualquer dúvida, veja o decreto que regulamentou a lei que instituiu o vale:

      Decreto Estadual nº 1.298, de 23 de setembro de 2008

      Tipo:Decreto
      Data:23/09/2008
      Resumo:Regulamenta a Lei nº 7.197, de 9 de setembro de 2008, que institui o auxílio-alimentação no âmbito do serviço público da Administração Direta, Autárquica e Fundacional, e dá outras providências.
      Texto:
      DIÁRIO OFICIAL Nº. 31261 de 24/09/2008
      GABINETE DA GOVERNADORA

      DECRETOS

      D E C R E T O Nº 1.298, DE 23 DE SETEMBRO DE 2008

      Regulamenta a Lei nº 7.197, de 9 de setembro de 2008, que institui o auxílio-alimentação no âmbito do serviço público da Administração Direta, Autárquica e Fundacional, e dá outras providências.
      A GOVERNADORA DO ESTADO DO PARÁ, usando das atribuições que lhe confere o art. 135, inciso V, da Constituição Estadual, e
      Considerando, a Política de Valorização do Servidor Público, adotada pelo Estado do Pará a partir de 2007;
      Considerando, que a Lei nº 7.197, de 9 de setembro de 2008, vai beneficiar diretamente mais de 70 mil servidores públicos que atualmente não percebem qualquer valor a título de auxílio-alimentação, criando uma política que irá englobar todos os servidores públicos estaduais,
      D E C R E T A:
      Art. 1º O valor do auxílio-alimentação, de que trata a Lei nº 7.197, de 9 de setembro de 2008, será fixado através de portaria da Secretaria de Estado de Planejamento, Orçamento e Finanças - SEPOF, que observará a disponibilidade orçamentária específica de cada órgão ou entidade para fazer frente a essa despesa.
      Art. 2º O auxílio-alimentação será pago em pecúnia e o valor respectivo constará em contracheque.
      Art. 3º Os órgãos e entidades que na data da publicação da Lei nº 7.197, de 9 de setembro de 2008, tenham contratos para fornecimento de vale-alimentação em curso, respeitarão os prazos contratuais estabelecidos, sendo-lhes vedado firmar aditivos, renovações ou repactuações de qualquer espécie.
      § 1º Os servidores beneficiados com os contratos de que trata o caput deste artigo continuarão a receber os valores previamente pagos, convertendo-se à forma de pecúnia nos termos da Lei nº 7.197, de 9 de setembro de 2008, após o término dos mesmos, sem redução e vedada a sua atualização.
      Art. 4º Cabe aos órgãos e entidades que tenham contratos de fornecimento de vale-alimentação em curso, na forma estabelecida art. 3º, informar a data de encerramento dos contratos à Secretaria de Administração, no prazo máximo de 5 (cinco) dias a contar da publicação deste Decreto.
      Art. 5º Compete à Secretaria de Administração e à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Finanças, em conjunto com os órgãos e Secretarias afins, a adoção das providências necessárias à operacionalização do pagamento em pecúnia no mês subseqüente ao encerramento do contrato.
      Art. 6º Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação

      PALÁCIO DO GOVERNO, 23 de setembro de 2008.

      ANA JÚLIA CAREPA

      Governadora do Estado

      Excluir
  2. Temos mais uma pergunta: Porquê as despesas da Casa do Governador, são custeadas pelo Estado? inclusive o cardápio é variado: Camarão,Salmão,filé mignon, tem também Adega, com vinhos de safra boa. Wolgrand, nós até pensamos em fila a bóia na casa dele.kkkkk.

    ResponderExcluir
  3. O Sr. esqueceu de uma coisa major: Quem leva o preso em escolta para o Forum, somos nós do BPOP.!! e as vezes passamos horas e horas, ou quem sabe ate mesmo 24hs,(dependo da situação, )apenas com a farofa que apressadamente comemos antes da escolta.

    ResponderExcluir
  4. Meu Caro Amigo Wolgrand faça uma matéria sobre a BANDA DE MÚSICA DA PM que vive um desrespeitoso abandono por parte do Comando da PM, pois a situação esta cada vez pior, estamos vivendo num ambiente totalmente lixão, não temos mais sala pra ensaiar, nem alojamento pra ficar, nossos armários estão jogados um por cima do outro, além de não ter-mos mais promoção, a nova LOB ja foi assinada pelo cmt geral e os primeiros sgt vão morrer na mesma graduação, DR. Wolgrand a BANDA DA PM ja deixou de existir pro comando ha muito tempo, pois nem aparece mais o nome como BANDA no site da PM, os CACHORROS E OS CAVALOS que fazem as suas necessidades fisiológicas dentro de seus habitares vivem num ambiente muito mais agradável do nós seres humanos da BANDA DE MÚSICA, temos mais de 150 anos de existência e nem por isso, pois os coronéis querem extinguir o quadro de músico. por favor meu amigo nos ajude, se vc quiser posso te mandar fotos pra vc comprovar o que estou falando, abraços e aguardo resposta por gentileza meu amigo.

    ResponderExcluir
  5. eu kero aki fala ke em tucurui-PA NO 13 BPM os policiais estao tirando serviço PARTICULAR PRIVADOOOO!!! fazendo segurança de venda de peixe.. sem direito a agua a comida a remuneração( pelo menos pra nos praças) isso e uma vergonha.. o comando da PMPA esta vendido para os comerciantes.. jornada extra nunca viu..!!! SOCORROo

    ResponderExcluir
  6. Boa noite sr major,quando o governador jatene quis se eleger ,convocou reuniões com os praças.Quando foi eleito,virou as costas para esse tão sofrido contingente.Esqueceu de suas promessas quanto :As promoções para os cabos com mais de 15 anos de serviço,redução de intesticio. Quando dá um aumento ele é desproporcional,sendo que o maior percentual fica com o oficialato.Sendo que em sua grande maioria trabalham nos gabinetes em segurança.E nós os praças em sua grande maioria,arriscamos nossas vidas todos os dias.Fui seu aluno na escola de formação,um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Em alguns Municipios do Pará a jornada de trabalho de 24 horas. Considero isso trabalho escravo, pois não temos folga que compense essa jornada e não recebemos hora extra. O Sr. pode fazer uma matéria sobre isso? Ou o blog é em benefíco do alto escalão? Acredito que não.

    ResponderExcluir
  8. Estou a 3 mses destacado da sede no interior meu auxílio alimentação não cobre nem um mês. Fui mandado não TVE escolha isso é legal 3 meses.Detalhe sem ser publicado transferência

    ResponderExcluir