domingo, 27 de janeiro de 2013

O Ministério de Aconselhamento Público puxa a orelha de Secretários Municipais de Belém.

Como um pai que dá “carão” no filho adolescente e irresponsável, o Ministério Público do Estado editou uma RECOMENDAÇÃO aos Secretários de Saúde e Administração de Belém, ensinando-os a não adquirir medicamentos de forma irregular para atenuar o caos na saúde Pública da Capital paraense. Mesmo com a decretação de “Estado de Emergência”, pelo Prefeito Zenaldo Coutinho, não é razoável pegar carona e dispensar a licitação em situações que não se enquadram na hipótese legal.

É claro que somente cabe recomendação a quem não sabe o que fazer no exercício do cargo público. Se fossem competentes não precisariam de um puxão de orelha institucional. Mas, como diz o ditado, “dos males o menor”. Melhor levar um “carão” que responder uma AÇÃO CIVIL PÚBLICA na Justiça.

Como os “gestores” municipais botaram “o rabo entre as pernas”, ficou claro que aceitaram a admoestação pública imposta pelo MP, própria de quem é subordinado e possui dívida no cartório.

Qualquer dia Zenaldo vai nomear mais dois ou três membros do MP para gerir a coisa pública. Assim, talvez, o número de traquinagens administrativas na Prefeitura de Belém se reduza a um número tolerável.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário