domingo, 25 de novembro de 2012

O “TOM” da Inteligência da SEGUP/Pa (Ou: “Usa a Inteligência quem a tem”)

Com a condenação, pela Justiça Federal, do Ex secretário Adjunto de Inteligência da SEGUP-Pa, Antônio Claudio Farias, sem que as autoridades públicas paraenses desconfiassem que esse lamentável fato estava prestes a ocorrer, levanta-se a seguinte questão: Para que serve a inteligência?

Sabe-se que o homem é um ser SIMBÓLICO e RACIONAL, isto é, domina a linguagem abstrata e a combina de diversas maneiras. Isso o faz apto a elaborar discursos capazes de explicar e antever os fatos. Assim nasceram as teorias científicas, filosóficas, artísticas, empíricas e religiosas. Em todos os casos, como dizia Francis Bacon, filósofo Inglês do séc. XVI, o conhecimento torna o ser humano capaz de prever os acontecimentos e exercer certo PODER sobre a natureza.

Se fizer algum sentido considerar a inteligência humana como a faculdade que permite ao homem se antecipar aos fenômenos, como se tivéssemos verdadeiras BOLAS DE CRISTAL, por que o Secretário de Segurança Pública do Pará não foi capaz de antever que o seu protegido, ANTÔNIO FARIAS, estava prestes a ser condenado por IMPROBIDADE pela Justiça, o que o tornaria incompatível com o cargo para o qual foi nomeado?

Para questões como essas, penso que há uma única resposta: FALTOU INTELIGÊNCIA AOS GESTORES DA SEGURANÇA PÚBLICA PARAENSE.    

2 comentários:

  1. inteligência, pague para entrar e reze para sair!!

    ResponderExcluir
  2. E o Secretário adjunto operacional, Cel Solano, afastado por falta de operacionalidade em seguida recebe outra premiação, é por estas e outras....

    ResponderExcluir